Estes salmos que me fazem viver

A lembrança dos salmos nos meus primeiros anos, é o ‘Dixit Dominus Domino meo’ das vésperas do domingo à tarde onde íamos em família na igreja paroquial. Crescendo, a curiosidade conduziu-me a olhar às traduções propostas no lado do texto latino. A lingua francesa não esclarecia de fato a minha oração.A salmodia, como a repetição das ‘Ave Maria’ do terço, à noite em família, certamente me iniciou nesta forma de oração que encontro nas celebrações de ‘Taizé’: partilha da oração dos outros, abertura à oração da Igreja, ação abrindo sobre um além da minha pessoa... com palavras repetidas por inúmeros crentes desde há mais de três mil anos, e de maneira especial por Jesus mesmo e os primeiros cristãos (...). Desde 1953 o padre Joseph Gélineau publicava a sua primeira coleção ’24 salmos e um cântico’: O Senhor é o meu Pastor (Sl 22). A minha alma engrandece o Senhor (Cântico de Maria). Ele usava a tradução francesa da Escola Bíblica de Jerusalém que publicava então a sua primeira edição. Toda a sua longa vida, ele buscará no seu trabalho a qualidade da oração comum, e, no entanto, do canto dos salmos. Dizia ele: “No Ofício Divino, o canto é a maneira normal da oração comum... Mas esta oração atingirá a sua perfeição só com uma inteligência suficiente do texto”. Um mínimo de estudos, bíblicos e teológicos, são necessários para aprofundar a compreensão destas orações. Para nós, cristãos do século XXI , os salmos tomam toda a sua dimensão em referência à salvação trazida por Jesus Cristo, o único vencedor do mal e da morte. As pequenas citações do Novo Testamento introduzindo cada um dos salmos no nosso livro ‘Oração Diária’, ajudam-nos a entrar bem nesta compreensão. O primeiro salmo que verdadeiramente acompanhou a minha oração pessoal, e que a acompanha muitas vezes é o Sl 138:Senhor, tu me sondas e me conheces, Tu conheces o meu sentar e meu levantar, De longe penetras o meu pensamento...Meus caminhos todos são familiares a ti... É a confiança total daquele que se livra ao seu Senhor (Sl 15): Eu digo ao Senhor: “Tu és o meu bem!Os deuses e senhores da terra não me satisfazem. Tu me ensinarás o caminho da vida: cheio de alegria em tua presença! É de delícias à tua direita para sempre!” De manhã , ao levantar, é antes o louvor que me inspira com o salmo 8:Senhor, nosso Deus, como é poderoso o teu nome em toda a terra!Quando contemplo o céu, obra dos teus dedos,O que é o homem , para dele te lembrares?Ou o sl 143Senhor, o que é o homem para que o conheças,O filho de um mortal, para que o tomes em conta? Nós somos na aliança proposta a Abrahão, a parceria do homem e de Deus. Três vezes por dia é a estimulação da oração em Comunidade : oito salmos diferentes compõem cada dia este serviço da oração. Mas estes estão de todos os momentos do dia, quando impaciências, contrariedades, rancores aparecem na minha vida. O Cântico de Exéquias (em Isaías 38,17), me vem nos lábios : Tu me curaste e me fizeste reviver.A minha amargura se transformou em paz, quando arrancaste a minha vida da tumba vazia e voltaste as costas para todos os meus pecados. Às vezes o tom de um salmo é de uma franqueza brutal, de uma espontaneidade que faço minha nos encontros de pessoas ou de famílias em sofrimento, por exemplo com as vítimas do álcool destruidor: Senhor, até quando me esquecerás? Para sempre?Até quando esconderás de mim a tua face? (Sl 12) Mas a confiança retoma por cima:Quanto a mim , eu confio no teu amor, meu coração exulte com a tua salvação. (v6).Que a tua compaixão venha logo até nós, Pois estamos muito enfraquecidos.Socorra-nos, ó Deus salvador nosso,Pela honra do teu nome. (Sl 78) Esta salvação, nós a cantamos todos os domingos no salmo 117, dia da Salvação trazida pela ressurreição do Cristo Jesus.Agradeçam ao Senhor, porque ele é bom,Porque o seu amor é para sempre! E à tarde, com a chegada da noite, é o anúncio da ‘passagem’.Como o idoso Simeão, sou convidado à um último ato de confiança:Agora, Senhor, conforme a tua promessa, podes deixar o teu servo partir em paz. Porque meus olhos virão a tua salvação, que preparaste diante de todos os povos: luz para iluminar as nações e gloria de teu povo Israel. Lc 2,29-32)

Irmão Stanislas HOUSSAIS <O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.>; Na revista Chronique de Dezembre 2010.

*Citação de Philippe Robert em “Joseph Gelineau, pioneiro do canto litúrgico em francês: La redécouverte des formes”. Éditions Thurnhout, Belgique. 2004.

ImprimirE-mail